Prego atinge rosto de motorista

Peça ficou alojada na lateral do olho esquerdo e bem próximo à base do crânio

Por MH

Marcos Soares posa ao lado de Dr. Bruno Chagas, que salvou sua vida
Marcos Soares posa ao lado de Dr. Bruno Chagas, que salvou sua vida -
O dia parecia ser mais um de muito trabalho para o motorista Marcos Soares, de 38 anos, que fazia uma obra em casa, no início de agosto. Só parecia. Ele fazia a limpeza de um terreno quando uma falha mecânica na roçadeira elétrica que usava provocou um grave acidente que quase o levou à morte. O aparelho atingiu um prego no chão, que foi lançado em sua direção. Como não usava o protetor facial, a peça atingiu sua face e ficou alojado na lateral do olho esquerdo, e bem próximo à base do crânio, que cobre o cérebro.
Atendido no hospital Cemeru de Santa Cruz, na Zona Oeste do Rio, o motorista foi levado para a cirurgia, imediatamente, pela equipe de Bruno Chagas.
"Como cirurgião buco-maxilo-facial, sempre acho que já vi de tudo. Mas esse caso realmente foi o que mais me chamou a atenção em todos esses anos de formado. Principalmente por ter conseguido operar e evitar que o paciente ficasse com sequelas. O objeto atingiu uma área extremamente nobre da face, rica em nervos e vasos, além de ser próxima do olho e da base do crânio. Foi um verdadeiro milagre. Deus nos abençoou!", declarou o médico.
O prego entrou pelo rosto de Soares e ficou a um milímetro de um dos olhos e do cérebro. Foi preciso muita habilidade durante a cirurgia de emergência para livrar o trabalhador do óbito. Se não fosse o socorro da equipe médica e Bruno Chagas, suas chances seriam bem remotas. O motorista passou 15 dias no CTI e teve alta. Hoje, nem parece que foi tão gravemente acidentado.
"Deus colocou o Dr. Bruno e sua equipe na minha vida! Foi um milagre, ele salvou a minha vida!", declarou Soares, emocionado.

Galeria de Fotos

Marcos Soares posa ao lado de Dr. Bruno Chagas, que salvou sua vida Amanda Pinheiro / Divulgação
Bruno Chagas mostra o prego retirado do rosto do paciente Amanda Pinheiro / Divulgação