A covardia do INSS de cada dia

Ser mãe e criar os filhos sozinha já é um grande desafio. Agora imagine ser mãe de quatro e dois serem cadeirantes…

Por Isabele Benito

Cláudia Cristina Bento do Nascimento com os filhos Nicolas, de 10 anos, e Davi Luccas, de 2
Cláudia Cristina Bento do Nascimento com os filhos Nicolas, de 10 anos, e Davi Luccas, de 2 -
Rio - Ser mãe e criar os filhos sozinha já é um grande desafio.

Agora imagine ser mãe de quatro e dois serem cadeirantes…

Essa é a história da Cláudia Cristina Bento do Nascimento, moradora da comunidade do Arvoral, em Itaipú, Niterói.

Ela desce e sobe o morro com duas crianças no colo, praticamente todos os dias.

Não pode trabalhar, já que tem que cuidar deles.

Nicolas tem dez anos. Davi Luccas tem dois.

O mais velho sofre de paralisia cerebral. Não anda, não fala, convive com crises seguidas de epilepsia e só se alimenta por sonda. O caçula tem microcefalia e depende de leite especial.

Uma vida difícil que ficou ainda mais depois que o INSS cortou o benefício de Nicolas.

Sim, isso mesmo, o INSS parou de pagar o LOAS, que é o benefício de assistência social para pessoas com deficiência, que o menino tem direito e não avisou o por quê e nem quando volta a pagar...

Cláudia tá vivendo apenas com o benefício de Davi. O último aluguel, de setecentos reais, foi pago com uma vaquinha feita pelos vizinhos e amigos.

“A gente só não passa fome porque eu ainda tenho anjos que me amparam. Os meninos tomam muitos remédios controlados, então o gasto é muito alto. Não sei mais o que fazer se esse benefício continuar cortado”, relata a mãe em desespero.

A coluna também tentou entender o motivo do corte e quando vão voltar a pagar o que é de direito do menino, mas eles não respondem.

Esse país é muito cruel, paga pensões milionárias a viúvas de desembargadores, autoridades de várias patentes, que por sinal são delas de direito, mas corta o pouco do pobre sem nem dar o direito de saber a razão.

3,2,1… É DEDO NA CARA!
PINGO NO I
Agilidade sobre duas rodas… Isso não é novidade no Rio de Janeiro.

O serviço dos mototáxis já é um velho conhecido dos cariocas, principalmente utilizado nas comunidades da cidade.

Mas, nos dias de hoje, tudo se adapta aos tempos tecnológicos.. E com os mototaxistas não seria diferente.

Depois da fase de testes, começou a funcionar oficialmente o aplicativo para eles, que tem como objetivo facilitar as questões de mobilidade no município, e principalmente locomover de maneira mais rápida e barata aqueles que utilizam do serviço.

O trânsito das grandes capitais é um senhor problema para aqueles que não podem perder tempo.. Aliás, tempo é dinheiro!

Vai dar polêmica... tô até vendo.

O aplicativo segue cadastrando mototaxistas e também usuários.

Então, bora colocar o pingo no i…

Deixa o povo trabalhar… No final, todo mundo sai ganhando! Complementa renda e também cria novos empreendedores.
TÁ BONITO!

Uma orquestra de jovens, todos de escolas municipais de Santa Cruz e Sepetiba, se apresentou pela primeira vez ontem na Cidade das Artes, na Barra da Tijuca. O projeto, uma parceria da Prefeitura do Rio com a Ternium, maior siderúrgica da América Latina, selecionou alunos do 5º ao 9º ano do Ensino Fundamental, tendo como prioridade investir no desenvolvimento social dos adolescentes.

Durante a estreia do espetáculo de 90 minutos, muita emoção. E no repertório, a mistura do erudito com o popular. Eles ainda se apresentaram com o consagrado Toquinho.

É bom demais saber que ainda existe investimento nos jovens do nosso país. Ainda mais realizando tudo isso por meio da música.

Por isso, se você me perguntou se tá feio ou tá bonito.. A arte tem poder, traz calma na alma e com certeza vai marcar o futuro desses jovens.

Comentários