Comerciante é ameaçado após morte de 30 gatos

Proprietário de trailer de lanches teve seu estabelecimento depredado depois de ter sido acusado pelo crime. Ele nega envolvimento

Por Juliana Pimenta

Frases agressivas foram pichadas no trailer, em praça do Valqueire
Frases agressivas foram pichadas no trailer, em praça do Valqueire -

Acusado sem provas de ter provocado a morte de 30 gatos na Praça Vantuil, em Vila Valqueire, na Zona Oeste, o comerciante Sérgio Ramalho, de 52 anos, teve seu trailer de sanduíches artesanais depredado no local, na madrugada de de sábado. Ele conta que foi acordado às 4h da manhã por telefonemas dos vizinhos. Como O DIA mostrou na edição de ontem, a morte dos bichos está sendo investigada pela Polícia Civil.

"O pessoal me ligou dizendo que estavam depredando tudo e colocando fogo nos trailers. Picharam com ameaças e vandalizaram a praça", contou Sérgio, explicando o que originou os ataques com frases como 'Espetinho de gato' e 'Seu Ketchup é feito de sangue':

"Foi fomentado nas redes sociais que a morte dos gatos aconteceu por causa da chegada dos trailers, como se a gente tivesse alguma coisa a ver com isso. Eu já tenho meu trailer aqui há um ano e nunca aconteceu nada. As cuidadoras dos animais são minhas amigas e sabem que a gente não é capaz de nada disso".

Galeria de Fotos

Frases agressivas foram pichadas no trailer, em praça do Valqueire Luciano Belford
Cerca de 100 gatos viviam na Praça Vantuil, em Vila Valqueire, na Zona Oeste Glaucia Rafael/Divulgação SUPAN
Cuidadores de animais, na Praça Vantuil, em Vila Valqueire, cobram providências da prefeitura e Subem Divulgação

Além das cuidadoras, o presidente da Comissão de Saúde Animal e membro da Comissão de Direitos dos Animais da Câmara Municipal do Rio, vereador Dr. Marcos Paulo, se manifestou contra a depredação dos quiosques: "Eu sei que a revolta com o envenenamento dos gatos é grande, mas nada justifica mais violência, ainda mais sem qualquer prova. A polícia está investigando a matança dos gatos e também irá investigar mais essa violência".

Sérgio Ramalho conta que a agressão de ontem não foi a primeira: "Na quinta-feira, veio um homem aqui, que se identificou como PM, e disse que ia me entupir de tiro e tacar fogo no meu trailer. Eu cheguei a registrar boletim de ocorrência. Hoje (ontem), os agentes da Polícia Civil vieram aqui fazer a perícia".

A Polícia Civil confirmou que a 28ª DP (Campinho) investiga o caso. Além da perícia, a polícia solicitou as imagens de câmeras de vigilância para identificar os envolvidos na ação.

 

Comentários