Justiça nega pedido de redução de pena para Viúva da Mega-Sena

Esgota-se a possibilidade de recurso no Tribunal do Estado

Por O Dia

Adriana Ferreira Almeida Nascimento, viúva de Renné Senna
Adriana Ferreira Almeida Nascimento, viúva de Renné Senna -
Rio - O Tribunal de Justiça do Estado (TJRJ) negou o pedido da defesa de Adriana Ferreira Almeida, conhecida como a Viúva da Mega-Sena, de redução de pena. Com a negativa do habeas corpus impetrado pela  8ª Câmara Criminal, responsável pela decisão, esgota-se a possibilidade de recurso na Corte. 
Adriana é é acusada de ordenar a execução de Renné Senna, que ganhou R$ 52 milhões na loteria federal.  Em janeiro de 2007, o ex-lavrador foi morto a tiros em Rio Bonito, na Região Metropolitana do Rio. Na ocasião, seis pessoas foram acusadas do crime, entre elas a viúva. A cabeleireira teria ordenado o assassinato após ele ter dito que ia excluí-la do testamento, pois sabia que estava sendo traído. 
“À mingua de ilegalidade ou abuso de poder contra a liberdade de locomoção da paciente, o habeas corpus desvia-se de sua finalidade e torna-se, por consequência, inadequado para o único fim de reformar a sentença condenatória do Tribunal Popular, que é o que remanesce”, destacou o desembargador Claudio Tavares de Oliveira Junior, na decisão. 
 
 

Comentários