Polícia identifica mandante de ataque a UPP que teria causado morte de Gabriel

Traficante do Borel, Peterson de Souza, o Pepinho, possui 14 mandados de prisão

Por Bruna Fantti

Pepinho estaria ferido
Pepinho estaria ferido -
Rio - A polícia identificou o mandante do ataque à base da UPP do Morro do Borel, na Tijuca, Zona Norte, que teria ocasionado a morte do estudante Gabriel Pereira Alves, de 18 anos, no dia 9 de agosto, atingido por uma bala perdida, enquanto esperava um ônibus para ir à escola.

Segundo a 19ª DP (Tijuca), a ordem do ataque partiu do traficante Peterson de Souza, o Pepinho, que possui 14 mandados de prisão por tentativa de homicídio, assalto e associação ao tráfico de drogas. Além disso, somente na delegacia que o identificou, o nome dele aparece em 42 ocorrências.

Atualmente, de acordo com investigações, Pepinho se encontra com um dos braços inutilizado, devido a um tiro de fuzil que sofreu durante tiroteio no dia 20 de julho, com a Polícia Militar. Na ocasião, ao lado de outros sete traficantes, armados com fuzis, ele invadiu a casa de um casal de comerciantes chineses e roubou eletrodomésticos, joias e dinheiro com o auxílio de uma van. Os chineses não estavam na residência, mas vizinhos acionaram a polícia após perceberem a movimentação estranha no local.

Quando uma viatura chegou, houve troca de tiros e um dos bandidos, não identificado, acabou morto. Pepinho foi ferido, mas conseguiu fugir com os comparsas e os produtos do roubo. Ainda de acordo com informações da polícia, o traficante tem recebido tratamento médico em uma clínica no interior do Borel, onde um técnico de enfermagem é obrigado a fazer curativos.

O ataque à UPP teria sido em consequência de uma operação realizada pela polícia pacificadora no dia anterior, em que dois supostos traficantes morreram.


Comentários