Gabi Mosch: Um Oscar para a moda sustentável

Aos poucos, a sustentabilidade tem se transformado em importante quesito a ser considerado no ato de compra e, como mostrou Jane Fonda, também de "não compra", recorrendo-se, nesse caso, à reutilização

Por Gabi Mosch*

Gabi Mosch
Gabi Mosch -
O Oscar deste ano foi palco de diversos atos de protesto. E a moda, como forma de linguagem e expressão, não poderia ter ficado de fora. Uma das mais notórias defensoras em Hollywood das causas ambientais, a atriz Jane Fonda chocou o público ao aparecer na cerimônia com o mesmo vestido que usou no tapete vermelho de Cannes, em 2014 (!). Além disso, ela levou um casaco vermelho que costuma vestir em manifestações, peça que a atriz declara ter sido a última que comprou em sua vida. O ator Joaquin Phoenix também se posicionou de forma consciente, usando o mesmo terno, assinado por Stella McCartney, que ele vestiu nas outras premiações desta temporada, como o Bafta e o Globo de Ouro.

Durante muito tempo, o consumo da moda era desprovido de questionamentos. O importante era acompanhar o novo, as chamadas tendências. Discussões sobre os impactos ambientais da fast fashion eram raras e restritas a grupos específicos. Agora, finalmente está sendo disseminada a informação de que se trata de uma das indústrias mais poluentes do mundo, cuja cadeia produtiva se sustenta, por exemplo, no uso de quantidades impressionantes de agrotóxicos no plantio do algodão, na derrubada de milhões de árvores para produção de viscose ou na exploração de quantidades exorbitantes de petróleo para dar origem às fibras sintéticas.

Nesse contexto, um dos graves problemas a serem solucionados é o descarte das roupas que são produzidas em excesso e com período de vida curtíssimo. Cabe não só aos consumidores, mas também às marcas mudar esse cenário. Aos poucos, a sustentabilidade tem se transformado em importante quesito a ser considerado no ato de compra e, como mostrou Jane Fonda, também de “não compra”, recorrendo-se, nesse caso, à reutilização. Na esteira dessa mudança de pensamento, os brechós têm se tornado mais populares e o garimpo de peças vintage para a composição de looks únicos passou a ser valorizado. Até mesmo peças que tradicionalmente eram feitas para serem usadas uma vez, como os vestidos de noiva, já têm encontrado alternativas para um novo uso.

Nosso planeta pede socorro e uma das formas ao nosso alcance de atender ao seu pedido é começando pelo nosso guarda-roupa.
*Gabi Mosch é designer de moda e fundadora do Belina Ateliê
Uma assinatura que vale muito

Contribua para mantermos um jornalismo profissional, combatendo às fake news e trazendo informações importantes para você formar a sua opinião. Somente com a sua ajuda poderemos continuar produzindo a maior e melhor cobertura sobre tudo o que acontece no nosso Rio de Janeiro.

Assine O Dia

Comentários