Nova Iguaçu inaugura usina de produção de energia do lixo

Usina tem capacidade total de gerar em torno de 16,5MW com potencial para abastecer aproximadamente 65 mil residências com padrão médio de consumo de energia elétrica

Por O Dia

Prefeito Rogerio Lisboa, vice-governador Cláudio Castro e outras autoridades participaram da inauguração da usina
Prefeito Rogerio Lisboa, vice-governador Cláudio Castro e outras autoridades participaram da inauguração da usina -
Foi inaugurado nesta quinta-feira, dia 22, o sistema de produção de energia elétrica a partir do biogás produzido pela decomposição do lixo na Central de Tratamento de Resíduos (CTR) de Adrianópolis, em Nova Iguaçu. A usina tem capacidade total de gerar em torno de 16,5MW, com potencial para abastecer aproximadamente 65 mil residências com padrão médio de consumo de energia. A CTR é administrada por uma empresa por meio de uma concessão da Prefeitura de Nova Iguaçu.

“Mais uma vez Nova Iguaçu inova nesta questão de tratamento adequado do lixo. Quando esta CTR não existia nós tínhamos um problema ambiental monumental que era o lixão de Marambaia, que era uma tragédia ambiental. O lixão acabou, a área foi descontaminada e esta CTR moderna foi implantada. Agora estamos gerando energia elétrica limpa”, afirmou o prefeito Rogerio Lisboa, que participou da inauguração acompanhado do vice-governador do Estado do Rio, Cláudio Castro, de autoridades do município, do estado e de representantes da empresa concessionária da CTR.

Para o vice-governador, a CTR de Nova Iguaçu é um exemplo de empreendimento econômico e sustentável. “O Meio ambiente é fundamental. Os órgãos de controle ambiental são fundamentais, mas tem que defender as causas ambientais sem prejudicar o desenvolvimento econômico. Esta planta que estamos inaugurando vai gerar energia limpa, barata, que vai fomentar o desenvolvimento de nosso estado”, afirmou Cláudio Castro. Segundo ele, o governo estadual vem dando celeridade aos processos de licenciamento ambiental para estimular o desenvolvimento econômico, sem perder de vista as causas ambientais.

O presidente do Instituto Estadual do Ambiente, Claudio Dutra, também ressaltou a importância da geração de energia limpa pela usina. “Hoje há uma preocupação mundial na transição energética para energia limpa. Aqui é um exemplo de produção de energia limpa”, afirmou Dutra. Para ele, o acesso à energia e a um ar limpo é um direito fundamental do cidadão.

A unidade de geração de energia inaugurada é composta por 12 motores movidos a biogás de aterro sanitário. A usina opera 24 horas por dia, nos 365 dias do ano. Foram investidos no complexo gerador cerca de R$ 100 milhões. O biogás é o gás produzido a partir da decomposição de resíduos orgânicos do lixo. É um tipo de gás inflamável composto por vários gases, como o metano (CH4) e o dióxido de carbono CO2). O biogás passa por vários estágios na usina de geração de energia, até ser encaminhado para o sistema de aproveitamento energético.

A CTR de Nova Iguaçu foi o primeiro projeto do mundo aprovado através do Mecanismo de Desenvolvimento Limpo (MDL), da ONU, de mitigação de gases de efeito estufa e venda de crédito de carbono. A energia produzida na CTR será comercializada no mercado para consumidores livres e em leilões de energia elétrica. Além do lixo de Nova Iguaçu, a Central de Tratamento recebe também resíduos de outras cidades da Baixada Fluminense, como Belford Roxo, Nilópolis, Queimados e São João de Meriti, e de grandes empresas. A unidade começou a operar em fevereiro de 2003. O local tem capacidade para receber 5 mil toneladas diárias de resíduos.


Galeria de Fotos

Prefeito Rogerio Lisboa, vice-governador Cláudio Castro e outras autoridades participaram da inauguração da usina Alziro Xavier / Divulgação PMNI
A unidade de geração de energia inaugurada é composta por 12 motores movidos a biogás de aterro sanitário Alziro Xavier / Divulgação PMNI
Durante seu discurso, Rogerio Lisboa comemorou o fato de que agora a CRT está gerando energia elétrica limpa Alziro Xavier / Divulgação PMNI

Comentários