Garotos x Experientes

Numa inversão de tendência, Cruzmaltino tem usado mais jovens do que o Tricolor na temporada

Por O Dia

Abel Braga vive um momento  de pressão à frente do Vasco
Abel Braga vive um momento de pressão à frente do Vasco -

A disputa por um lugar na semifinal da Taça Rio é o pano de fundo para mais um encontro entre Vasco e Fluminense. A inversão dos papeis em 2020 pontua o embate no Maracanã, hoje, às 18h. Em busca da primeira vitória na Taça Rio, o Cruzmaltino promoveu mais de 12 promessas, que, ao lado de nomes como Leandro Castan e Guarín, têm a missão de evitar uma nova eliminação precoce. Referência pela 'fábrica' em Xerém, o Tricolor, que lidera o Grupo B, com seis pontos, enquanto o arquirrival soma dois, tem apostado na maturidade sob o comando de Odair Hellmann.

Com o cargo em risco, Abel Braga tem a missão de convencer. Apesar do alto nível de insatisfação pelas últimas atuações, o treinador tem mérito na recuperação do bom futebol de Andrey, além de ser o maior incentivador de Vinícius, prata da casa que herdou a vaga de Talles Magno, machucado. Vencer e convencer é o desafio de Abelão & Cia.

"Tem hora em que você chega num determinado momento que não tem nome. Vou colocar o que me dê a resposta", disse o treinador.

Conhecido pelo aproveitamento de sua base, o Fluminense até utilizou jovens no início de 2020, mais por conta de lesões e não regularizações de alguns reforços. Quando passou a ter todo o grupo à disposição, Odair passou a utilizar apenas Marcos Paulo e Evanilson, titulares absolutos, e, eventualmente, Miguel, que se lesionou. O elenco principal ainda conta com o goleiro Marcos Felipe.

A redução de peças recém-saídas de Xerém nos jogos muito se deve ao projeto de equipe sub-23, que visa a facilitar a transição aos profissionais. Muitos foram relacionados no início do ano, casos de Lucas Barcellos, Gabriel Capixaba, Higor e Matheus Pato. A tendência é que, ao longo da temporada, tenham oportunidade. Hoje, Callegari e Wisney sonham com uma chance.

Comentários