Como manter o estudo em tempos de quarentena

Alunos podem manter os estudos em casa nos mesmos horários em que estariam em sala de aula. Revisar exercícios, atualizar leituras e assistir a videoaulas são tarefas indicadas

Por Carolina Pavanelli

Pais podem ajudar os filhos no plano de estudos
Pais podem ajudar os filhos no plano de estudos -
Estamos passando por um momento único e muito difícil. Em diversos países, a ameaça invisível e bastante latente do novo coronavírus (Covid-19), além de medo, tem nos feito mudar nossos hábitos, pensar um pouco mais no coletivo e lidar com o incerto. O vírus chegou ao Brasil e, na terça-feira, dia 17, fez sua primeira vítima fatal. No Rio de Janeiro, o governador Wilson Witzel decretou que todas as escolas do estado fechem suas portas por, pelo menos, duas semanas. Universidades seguem o mesmo caminho. Nesse contexto, estudantes se veem trancados em casa, vestibulandos se desesperam com a ausência das aulas e familiares se perguntam o que podem fazer para ajudar os jovens neste momento.

Em primeiro lugar, seja estudando para Enem, vestibulares ou quaisquer concursos, é muito importante que não se perca o ritmo de estudos. Falo isso constantemente quando ocorrem feriados prolongados, e o mesmo deve servir para essa quarentena. Nesse sentido, é importante que o estudante continue mantendo a sua rotina dentro do possível. Se tem aulas pela manhã, continue acordando no mesmo horário que acordaria para ir à escola ou ao curso, mantenha-se em um lugar quieto e sem interrupções, e estude as matérias que já estaria estudando naquele dia, só que sem professor. Faça listas de exercícios, resumos, atualize as leituras de livros e apostilas, assista a videoaulas. Regule um tempo próximo ao que dedicaria em sala para cada disciplina, e não se esqueça de também ter os momentos de intervalo, seja para beber
uma água ou fazer um lanche.

O mesmo pode ocorrer com crianças menores, mas adaptando os horários para menos horas por dia. De 30 a 40 minutos por aula que a criança teria na escola é suficiente. E é claro que, nesse caso especialmente, os familiares têm um papel essencial de ficar do lado, orientar e acompanhar. 
Para além disso, o estudo pode ser um pouco mais divertido nesse período em casa. Em plataformas de streaming, como a Netflix, existem inúmeros conteúdos que podem ser utilizados com cunho educativo. Séries e filmes históricos transformam grandes momentos em uma narrativa mais próxima e instigante. Documentários sobre situações marcantes ou grandes personalidades são um retrato menos ficcional, mas ainda assim interessante. Para crianças pequenas, mesmo os filmes de animação podem trazer boas reflexões. Assistir a esses conteúdos com os jovens pode ser uma boa prerrogativa para ricas discussões.

Mais do que qualquer organização de estudo, é importante que todos atuem dando o exemplo. O momento é grave e o pedido para que fiquemos em casa não é descabido. Cada pessoa, mesmo saudável, que fique em casa é um vetor a menos de transmissão do vírus, que coloca em risco especialmente os mais idosos e aqueles com condições preexistentes. É momento de agir com cidadania, respeito e empatia. E essa é a maior educação que podemos deixar para as gerações futuras.
Uma assinatura que vale muito

Contribua para mantermos um jornalismo profissional, combatendo às fake news e trazendo informações importantes para você formar a sua opinião. Somente com a sua ajuda poderemos continuar produzindo a maior e melhor cobertura sobre tudo o que acontece no nosso Rio de Janeiro.

Assine O Dia

Comentários