Integrante do Now United, Any Gabrielly fala em live sobre racismo e xenofobia

Também conhecida por dublar a animação Moana, da Disney, a artista revelou se orgulhar do valor simbólico da personagem

Por O Dia

 
A cantora, atriz e dançarina Any Gabrielly foi entrevistada nesta sexta-feira, 31, na live do jornal O Dia (@odiaonline). A jovem, que integra grupo internacional Now United, bateu um papo descontraído sobre o início de sua carreira, mas não esquivou de abordar temas graves em debate no mundo atualmente. 

Sobre os movimentos anti-racistas que emergiram após o brutal assassinato do afro-americano George Floyd, Any destacou a importância do momento: “Algumas pessoas colocaram a mão na consciência e puderam rever alguns pequenos hábitos”. Também disse entender a responsabilidade dela, como mulher preta, servir como referência para outras jovens ao integrar um grupo de tanto sucesso como o Now United.

Any ainda expôs alguns casos de xenofobia sofridos pela banda, que é formada por integrantes de diversas nacionalidades. De acordo com Any, alguns integrantes tiveram seus vistos negados em alguns países e, até mesmo, deixaram de ser convidados para programas de TV pela rejeição por algum componente específico.

A cantora também revelou que o processo de ingresso no Now United foi demorado, com a equipe da banda procurando talentos ao redor do mundo: “Eles decidiram que valeria a pena buscar um integrante em solo brasileiro. Então foi aí que minha história mudou completamente”.

Logo com a formação da banda, Any passou a viajar bastante para se apresentar em vários lugares ao redor do mundo, porém deixou claro que, mesmo com tantos compromissos, fazia questão vivenciar a experiência de uma ‘adolescência normal’, dedicando tempo para sair com os amigos e curtir a família.

Um dos projetos que são considerados como especiais para a Any foi a dublagem da animação Moana, da Disney. Any se orgulha da representatividade que a personagem traz. “Uma mulher auto-suficiente, que não precisa de uma história de amor para tornar sua trajetória mais interessante, sem contar que ela em si, é uma figura onde muitas mulheres podem e conseguem se identificar”, revelou a artista.

Concedida a Agnes Rigas, integrante da equipe de Redes Sociais, a entrevista ao vivo bateu pico de audiência de 5,9 mil usuários simultâneos. Você pode conferir a íntegra em nosso Instagram ou em nosso Youtube.

Comentários