MC Kekel: 'Já fui servente de pedreiro e hoje faço show na Europa e vivo da música'

Em entrevista exclusiva, funkeiro comenta a melhor fase de sua carreira, fala da vida pessoal e do desejo de dias melhores para os brasileiros

Por O Dia

MC Kekel
MC Kekel -

MC KEKEL chegou de mansinho ainda em 2017, quando ficou conhecido através do hit 'Namorar Pra Quê?'. Mas foi em 2018, com a música 'Amor de Verdade', em parceria com MC Rita, que o funkeiro ficou nacionalmente conhecido. Foi aí que convites para cantar na TV começaram a surgir, e no meio do caminho, MC Kevinho apareceu para ajudar o amigo a deslanchar de vez com o hit 'O Bebê'. Hoje, Kekel colhe os louros da fama: faz shows pela Europa, tem fãs fiéis com suas canções na ponta da língua, e coleciona amizades no hall do show business. Mas nem sempre foi assim. Kekel já encarou obras para tirar de lá seu sustento, foi porteiro e estoquista. Mas se a conta bancaria mudou, alguns hábitos da vida simples que ele levava no extremo leste de São Paulo permanecem: ele não abre mão de um bom arroz com feijão no camarim de seus shows. Na entrevista abaixo, o cantor comenta a carreira, fala da vida pessoal e da nova fase como pai de uma menina.

Dois mil e dezoito foi o seu ano. Imaginava que fosse explodir desse jeito?

Foi a realização de um sonho. Todo mundo que trabalha com arte espera esse reconhecimento. Eu fiz até turnê na Europa. Cantei em Portugal, Irlanda, Luxemburgo... Mas não esperava mesmo! Acreditava que estava com uma equipe incrível, confiava na experiência dos meus empresários Kond e Marcelo. Eu agradeço todos os dias, todas as horas, e também trabalho muito.

O que esperar do seu 2019?

Muito trabalho! Estou chegando a 2 bilhões de visualizações só no canal Kondzilla. Então, espero que o público continue gostando do meu trabalho, que eu tenha saúde e energia para continuar dando o meu melhor. Já comecei o ano com a boa notícia que 'Eu Tô Zen' bateu 15 milhões de visualizações.

Você tem muitos projetos lançados com parcerias de sucesso. Esse ano teremos mais? Pode adiantar alguma?

Eu gravei dois clipes em Portugal: um com participação do DJ Batutinha e outro da cantora Soraia Ramos. Ainda estamos planejando o lançamento. Ficou lindo! Foi super especial gravar em Lisboa.

Quem te inspira a ser o que é hoje?

O que me inspira são meus fãs e todo carinho que recebo. Quero me entregar cada dia mais para todos eles.

Como você se descobriu cantor?

Eu cantava rap, porque todos os meus amigos gostavam de rap. Então eu comecei a compor rima, isso com 12 anos. Ali eu comecei a descobrir o meu lado cantor. Mas só com mais ou menos 15 anos que comecei no funk.

Já pensou em fazer outra coisa da vida?

Sim. Antes de ser cantor, sonhava ser mecânico. Até hoje gosto muito de carros. Já consertei o meu, inclusive (risos). Não passo aperto!

Quem é o Kekel por trás do microfone?

Um pai, irmão e marido com muita vontade de acertar! Quero que a minha filha Heloisa tenha muito orgulho de mim.

O que sua família disse quando você comunicou que queria tentar o show business?

As coisas foram acontecendo! Eu perdi a minha mãe muito cedo, então desde cedo trabalho e tomo as minhas decisões.

Como fazer para estar presente com a família com tantos shows pelo Brasil?

A tecnologia ajuda. Hoje ficamos falando com chamada de vídeo e também na minha folga eu me dedico exclusivamente para a minha família. Está sendo mágico! Um momento único na minha vida!

Você e Kevinho são muito amigos. Como surgiu essa amizade?

Conheci o Kevinho através do trabalho, em um show em Porto Alegre que nos encontramos e ali fortalecemos os laços de amizade.

Pensa em carreira internacional?

Eu fiz shows em Portugal, Argentina, Irlanda, Luxemburgo, Paraguai e fico feliz em ter casa lotadas nestes lugares. É uma realização! Estou curtindo essa experiencia. Vamos aguardar!

O que mais te deixa irritado?

Ingratidão!

O que mais te faz feliz?

Olhar para minha filha e ver os meus fãs cantando nos shows.

E o que você não abre mão de jeito nenhum?

De estar com a minha família.

Você é vaidoso? Quanto de 0 a 10?

Ah, sou 6.

No seu camarim, que comida não pode faltar?

Arroz, feijão e linguiça.

Em tempos de mudança na política, o que você deseja ao nosso país nesse momento?

São tempos difíceis. Desejo um país com mais oportunidade de emprego para os brasileiros.

Como é sua relação com seus fãs?

Ótima! Tanto nos shows, quanto nas redes. Sou grato a eles.

Como costuma lidar com a fama? Isso te atrapalha de alguma forma?

Kond (Kondzilla) me diz: 'você lutou para ser famoso, então aproveita.' Então eu lido com muito respeito, porque tudo que tenho veio deles.

Consegue andar na rua normalmente?

Claro que tem gente querendo tirar fotos. Mas normal, isso é reconhecimento.

Conte um pouco sobre a sua história. De onde você veio, quem você é...

Sou um garoto de Guaianazes, bairro no extremo leste de São Paulo, que já trabalhou como servente de pedreiro, estoquista e porteiro, e hoje já fez show na Europa e consegue viver de música.

Tem alguma curiosidade sobre você que quase ninguém sabe?

Que eu amo ficar em casa (risos).

Pensa em um DVD?

Penso em um dia fazer para reunir as minhas músicas.

Comentários