O Natal especial de Susana Vieira

Por Leo Dias

O Natal especial de Susana Vieira
O Natal especial de Susana Vieira -

Rio - Desde sempre, a coluna escolheu Susana Vieira como sua musa. A alegria, o poder e sua vitalidade são as características que mais nos chamam atenção nessa grande atriz. Em novembro, noticiamos a leucemia da nossa diva. Em 2017, nessa mesma época do ano, ela estava internada em um hospital tratando da doença. Sua alta foi prescrita na véspera de Natal. Este ano a musa da coluna planejou cada momento da noite, cercada pela família que tanto ama. A verdade é que Susana nunca decepciona e, na entrevista a seguir, fala com leveza sobre o tratamento, revelando seu pedido especial ao Arquiteto Supremo do Universo: "Na noite desse Natal, eu pediria que Deus me protegesse e mantivesse a minha doença estável para que eu pudesse seguir minha vida trabalhando".

O que não pode faltar na sua ceia de Natal?

Rabanada não pode faltar. Aliás, não como só no Natal. Como várias vezes por ano. De vez em quando me dá uma louca e eu peço para fazer rabanada.

Tem alguma coisa que você faça questão de preparar?

Gosto de preparar a decoração da casa. Gosto de muitas luzes, árvore de Natal, o presépio... Me preocupo com a arrumação dos quartos, da casa e da decoração de um modo geral. Recebo muita gente. Me preocupo com as flores e os enfeites.

Na sua família tem alguma tradição de Natal?

Uma tradição que vem desde que minha mãe fazia o Natal na casa dela era a gente ir lá pra fora olhar pro céu e esperar o trenó passar. É óbvio que o trenó não passava, mas ela dizia que passava. Então a gente corria pra lareira da nossa casa, lá na Rua Michigan, em São Paulo, e meu pai enchia a lareira de presentes. Eu estou numa casa 60 anos depois que tem uma lareira e eu faço isso hoje. Repito o mesmo ritual da minha mãe. Outra coisa é a oração: eu que puxo a oração ou chamo alguém pra puxar e a gente agradece a Deus. Os homens da família ficam meio encabulados nessa hora. É engraçado isso.

Esse Natal será mais especial do que os outros? Por quê?

Esse Natal será mais especial porque ano passado não teve Natal na minha casa. A gente ia passar o Natal em João Pessoa. Só que eu estava hospitalizada e tive alta no dia de Natal. Então meu filho Rodrigo Vieira, a Ketryn Goetten (mulher dele) e eu viemos para a minha casa. Meu filho comprou uma ceia pronta e nós almoçamos. Esse ano eu vou contar com essa família que estava me esperando em João Pessoa aqui. São minhas irmãs, sobrinhas e meus irmãos todos. Além disso, minha sobrinha Bianca adotou um menino chamado Cristiano e ele vai estrear na nossa família no Natal.

Na noite de Natal, se Deus te concedesse um milagre, o que você pediria?

Na noite desse Natal, eu pediria que Deus me protegesse e mantivesse a minha doença estável para que eu pudesse seguir minha vida trabalhando. Pela primeira vez eu pediria alguma coisa para mim: ter saúde e poder continuar levando uma vida normal.

E a sua virada? Já sabe como e onde será?

A minha virada vai ser no Mirante do Vidigal pela segunda vez. Minha sobrinha Bianca tem um hotel, é chamado de Hotel do Arvrão porque lá tem uma árvore enorme. É um espetáculo maravilhoso. A gente consegue ver todas as festas da orla, desde a Barra até Copacabana. Minha família estará toda lá.

Você é uma nova Susana depois da descoberta da leucemia? O que mudou?

Fiquei mais cautelosa em relação ao meu corpo e a não pegar muitos trabalhos ao mesmo tempo. Meu corpo mostrou que eu estava precisando de uma parada. Eu acho que fiquei mais assustada com a vida. Eu era mais corajosa. Eu sempre me cuidei e ainda assim tive essa doença... Eu não como açúcar, faço exercício, dieta...

Por que esconder a doença por tanto tempo? Era medo?

Eu não escondi essa doença. Mas as palavras leucemia e câncer são muito pesadas. O médico disse que eu ia conviver porque era uma doença crônica. Eu não podia fazer o transplante de medula. Na gravação do especial do Faustão, as pessoas me perguntavam quando eu voltaria às novelas e eu resolvi falar.

O que você mais sentiu de mudança na sua rotina depois da doença?

Mudou a minha rotina sim, de diariamente ir pra academia e três vezes por semana fazer alongamento... Eu tive que ficar seis meses sem fazer nada. Foi o que mais senti. Queria ter a rotina dos meus exercícios físicos, mas eu não podia fazer.

Nessa vida, de tudo a gente pode tirar algo de bom, por pior que seja. Com a leucemia foi assim? Teve algo de bom que você conseguiu tirar desse turbilhão de novas descobertas?

Eu não fiquei me lamentando. Tirar alguma coisa boa da situação de uma doença é muito difícil. A coisa grande é que a minha doença veio branda. Tive a companhia alegre da minha nora, meus cachorros... A coisa boa é não achar que vai morrer. Eu aguentei muito bem conviver sabendo que eu não era tão forte quanto eu achava. De repente eu fiquei pensando em por que eu, que cuido tanto da minha saúde, peguei essa doença? Então eu descobri que existem coisas que não tem explicação!

Teve algum momento que você achou que não daria conta?

Teve um momento que eu achei que não daria conta. Assim que eu entrei no hospital, fui pro CTI e me disseram que não estavam encontrando um sangue compatível com o meu. Quando a hematologista disse que eu precisava fazer uma transfusão porque eu estava com uma anemia muito alta, eu perguntei se eu ia morrer. Ela me disse que, se eles não achassem o sangue, eu corria risco de vida. Aí eu achei que não ia dar conta. Mas achei que eles não iam dar conta. Eu estava prontinha pra receber o sangue (risos).

O que podemos esperar do 2019 da Susana Vieira?

Podemos esperar uma Susana Vieira positiva, com disponibilidade pra vida, pra ser feliz, trabalhar, ser boa mãe... Espero por um trabalho maravilhoso para eu me exibir novamente.

Você está reservada para uma série em 2019, não é? Pode nos falar sobre esse novo trabalho?

Fui convidada para uma série escrita por Miguel Falabella. Começamos a gravar em abril. As protagonistas são duas mulheres: Arlette Salles e eu.

E o coração, como está? Susana está solteira?

O coração está ótimo porque eu estou solteira. Aí eu não preciso sofrer nem ficar esperando o homem ligar.

O que mais te deixa irritada?

Falta de caráter e homens frouxos. Aqueles que não têm atitude, sabe?

O que você não abre mão de jeito nenhum?

Eu não abro mão de um bom café com leite e dos meus cachorrinhos.

Galeria de Fotos

O Natal especial de Susana Vieira Vinícius Mochizuki/Divulgação
O Natal especial de Susana Vieira Vinícius Mochizuki/Divulgação

Comentários

Últimas de Leo Dias