Marília Mendonça: 'O sucesso é um ciclo e uma hora eu vou dar lugar a outra pessoa'

Na entrevista abaixo, a cantora se diz mais madura e que pretende encerrar a carreira cedo

Por

Marília Mendonça faz show no Rio
Marília Mendonça faz show no Rio -

Marília Mendonça começou a compor aos 12 anos. Com 15, escreveu 'Cuida bem Dela', sucesso na voz da dupla Henrique e Juliano. Hoje, aos 23 anos, a cantora comemora sua sólida carreira. Na entrevista a seguir, Marília se mostra madura ao dizer que pretende dar uma pausa na carreira aos 30 anos e acha honroso dar a vez a novos talentos. Em contrapartida, confessa que tem mais medo de ser traída do que de morrer. Marília conta sobre seu projeto itinerante, em que ela mesma panfleta divulgando o show gratuito que fará mais tarde na cidade. O projeto vai virar um DVD. Divirta-se e saiba que coluna espera que a entrevista seja tão boa para você quanto foi para este colunista.

Você mudou muito, não é?

Pois é... Uns 20 quilos a menos (risos).

Mas você está muito bonita!

Obrigada. Acho que é a felicidade. Felicidade de poder cumprir com meu trabalho. Eu me sinto muito mais feliz fazendo meu trabalho hoje assim. Eu sei que tenho saúde pra cumprir com aquilo e me sinto bem mais disposta pra cumprir com isso. Me sinto feliz e inspirando pessoas. Acho que isso é uma das missões que Deus me deu. Eu sou muito feliz com a minha vida sendo saudável.

Daqui a pouco a gente vai falar da dieta, mas eu queria começar falando desse projeto, um projeto inovador que eu nunca vi. O projeto se chama: 'te vejo em todos os cantos'. E você vai de surpresa numa capital brasileira e começa a panfletar nas ruas, anunciando um show que acontece horas depois. Um show aberto, de graça. Como é que é a reação das pessoas na rua?

Cara... É loucura! Uma coisa muito nova. No dia que eu tive esse sonho onde tudo começou...

Começou num sonho?

Começou num sonho. Eu não ia gravar o DVD porque eu estava vendo muitos artistas que eu admiro lançando apenas os singles e estavam se dando muito bem. E eu estava desacreditada da questão do DVD, que é uma coisa obsoleta. Queria fazer alguma coisa diferente e já estava decidida a não gravar DVD mais. De repente, estava gravando para 45 mil pessoas em Manaus. Aí eu pensei: o que eu vou fazer que ninguém fez? Comecei a conversar com Deus, não me vinha nada. Aí um dia eu sonhei que eu gravava um DVD pelo Brasil inteiro. E que eu mesma gravava esse DVD, mas eu não sabia como. Aí eu fui e falei com a galera da minha produtora e perguntei se era viável fazer, mas meio desacreditada, sabe? Aí me disseram que era viável. Na primeira cidade foi muito engraçado porque nem o motorista da van sabia que ele estava buscando a Marília. No hotel, tinha o nome da minha mãe. Eu ainda perguntei pro motorista se ele gostava de sertanejo e ele disse que não. A gente ainda fingiu que ia gravar uma novela e aí depois que ele se ligou que era eu. E aí eu tremendo, não sei o que eu estava sentindo, eu não sei se eu estava com medo ou se era timidez. Porque é diferente você estar num palco cantando pra um monte de gente e estar na rua entregando panfleto para pessoas que nem sabem do que se trata, porque até a pessoa perceber que sou eu leva tempo. Às vezes a pessoa que pega o panfleto está olhando pra baixo.

E mesmo que alertem ela não vai acreditar que é a Marília que está lá.

Acontece muito com pessoas mais velhas. A gente tem umas gravações que estamos guardando para o making of e a pessoa fala não que não sou eu. Aí eu paro, pego na mão e converso.

Depois dessa entrevista todo mundo vai saber: quantas cidades ainda faltam?

Faltam 22 cidades.

Esse projeto é para final de 2019?

Não, acho que a gente consegue finalizar até a metade do ano que vem. Para já começar a turnê nova.

Então não adianta que ninguém vai saber.

Às vezes vaza, mas sempre com hora errada ou data errada. O show é sempre em praça pública. A minha produtora vai lá e vê um local porque a gente tem muito medo de confusão. A gente não consegue pagar grandes equipes de segurança pra estar ali. É um projeto muito caro e tenho levado chicote todo dia dos empresários por estar ali. Eles falam pra cortar os gastos.

Mas isso é a realização de um sonho e você sempre falou que gosta de fazer shows com o povo. Isso é a verdadeira música popular brasileira.

Às vezes muitas pessoas que estão no show, não estão lá pela Marília. Estão pela festa e é muito legal poder dar essa oportunidade.

Você já realizou todos os seus sonhos?

Acredito que não. Acho que quando as pessoas que falam em sonho... É dinheiro! Mas não, eu penso em muitas outras coisas. Eu quero viajar, sabe? Quero ter um tempo pra mim.

Mas em relação a carreira a gente pode dizer que você é uma pessoa realizada.

Mas tem muita coisa legal pra fazer ainda! Meu sonho é conseguir realizar todas as parcerias que eu tenho vontade. Poder cantar com artista que eu sou fã.

Marília começou a compor com 12 anos de idade. São canções de uma densidade muito profunda, tão profunda que não é capaz que uma menina de 12 anos de idade tenha vivido tal coisa. Então me diz, com 15 anos ela compôs 'Cuida bem Dela', que talvez tenha sido o primeiro grande sucesso de Henrique e Juliano.

Foi.

'Cuida bem Dela' fala de uma pessoa que é apaixonada por outra e vê ela se relacionando com uma terceira pessoa e fala: cuida dela. É um desapego.

Uma pessoa de 15 anos de idade pode ter vivido isso? Qual é sua música mais autoral que mostra a Marília Mendonça verdadeira?

Eu sou uma pessoa extremamente romântica e com o romance vem comigo o drama. Então eu posso até não ter vivido a relação ao pé da letra mas eu vivi algo que eu maquiei pra chegar na música. Tudo pra mim é muito poético

Mas isso vem de onde?

A 'Cuida bem Dela' aconteceu comigo com 15 anos. Era meu aniversário. Meu ex chegou no atual e falou: "olha, eu saí da vida dela porque eu não mereço ela. Eu não presto. Agora se eu descobrir que você está fazendo malandragem com ela, eu vou voltar. Porque se for pra fazer malandragem, vai eu". E foi dessa forma e aí eu deixei a história poética. Quando eu estava compondo, queria muito escutar os homens cantando coisas que valorizassem as mulheres.

Essa filosofia feminista sempre esteve presente nas suas músicas?

Eu sou mulher, né? Sempre quero puxar pro lado delas.

Mas aí vai uma crítica minha ao pensamento feminino: muitas vezes quando a mulher é traída ela culpa a outra mulher.

Foi por isso que aconteceu 'A Culpa é Dele'. A música conta a história de ficantes, mas é real entre eu e a Maiara (da dupla com Maraisa. As duas ficaram com o mesmo rapaz).

Você já foi muito traída?

Já fui. Você acredita?

Mas você descobriu durante ou depois do relacionamento?

Durante.

Mas foram muitas vezes?

Ah... Umas três.

Bastante pra uma menina de 23 anos. E você perdoa traição?

Perdoar é diferente de conviver. Eu perdoo porque eu acho que o perdão é uma coisa que Deus me deu e eu não posso negar. Eu perdoo, mas não preciso ficar do seu lado para ser traída de novo.

Você já traiu?

Já.

Se arrepende?

Muito, porque eu acho que não é uma conduta legal. Eu era muito moleca e a traição por vingança também não vale a pena, que foi quando aconteceu. Eu descobri a traição e traí. Mas eu acho que não é legal. Hoje eu tenho mais medo da traição do que de morrer. Eu tenho muito medo mesmo de ser enganada, em todos os relacionamentos.

Algumas vezes eu achava que você não tem a real dimensão do seu poder como artista. Por exemplo: aquele momento em que você beijou um rapaz no meio da rua. Você beijaria no meio da rua assim de novo?

Não.

Você não pode fazer coisas normais e você fazia.

Eu preciso aprender isso. Eu continuo fazendo burrada. Não beijo mais um cara na rua, mas eu vou ali e dou uma opinião que não era pra eu dar. E aí quando a coisa explode, eu falo que nunca mais vou fazer e daqui a seis meses eu estou fazendo de novo. Eu não sei se é a vontade de apagar tudo isso da minha memória e ser uma pessoa normal.

Você tem saudade de alguma coisa antes da fama?

Quase tudo. A única saudade que eu não tenho é porque eu ia me sentir uma pessoa frustada. E hoje eu faço o que eu gosto que é cantar, mas seu eu pudesse só cantar sem pagar o preço da fama...

Você está solteira há pouco mais de um ano. Mas hoje, antes de assumir um relacionamento você pensa duas vezes?

Sim. Eu acho que tem muita consequência, principalmente quando assume em rede social. Quando a gente gosta de uma pessoa a gente fica com medo que acabe a partir do momento em que as pessoas souberem. Eu lembro que em vários antigos relacionamentos foi exposto e deu muito problema, então eu prefiro hoje manter em sigilo.

Você teve outro relacionamento depois do noivado?

Não. Sério, não.

Vamos falar da dieta: antes de você entrar nessa dieta rígida você tinha tentando outros métodos pra emagrecer. Você tinha feito o que? Foi balão? E não deu certo.

Foi horrível. O balão infla dentro do estômago. Me desculpe os profissionais que trabalham na área, mas pra mim não deu certo. Eu fiquei sete meses sem me alimentar, eu não conseguia segurar nada. Porque é uma reação que acontece e tudo que entra e ele não consegue digerir ele vai botar pra fora. Eu vomitava. No sétimo dia eu voltei e o médico falou que ia ter que tirar porque eu estava desidratada. Eu perdi oito quilos, estava sem saúde e não funcionou pra mim. Funcionou pra Maiara e pra Maraísa, mas pra mim não deu certo.

E você decidiu depois de quanto tempo entrar numa dieta rígida?

Foi um pouquinho depois, porque eu já fiquei com raiva e logo aí eu chutei o balde...

Mas a dieta foi difícil?

Está sendo. Mas é hipocrisia falar que eu não estou gostando de emagrecer.

É muito bom se olhar no espelho e se achar mais bonito, não é?

Eu sempre me achei muito bonita mas é legal emagrecer. Achar mais roupas está sendo mais legal pra mim.

Você era tão feliz gordinha quanto magrinha?

Muito feliz. Eu tava sentindo dores. Mas eu estava tomando uma, estava comendo pra caramba, que eu amo. Hoje eu acho que é uma felicidade mais duradoura.

Você parou de beber né?

Nos períodos de dieta eu não bebo.

Como que são fases?

São fases. Eu não acho que consigo viver a vida assim. Eu fiz uma fase de dieta que eu perdi 20 quilos.

Quando tempo foi isso?

Três meses.

Você não tomou nenhum remédio?

Nenhum remédio. E aí perdi 20 quilos, mas comia só folha, frango e maçã. A gente sabe exatamente o que comer. Não come porque não quer.

E depois dos 3 meses?

Dei uma parada, bebi cerveja sem glúten e comia algumas coisas também. Fui para os Estados Unidos e aproveitei. Agora comecei uma nova fase da dieta.

E qual é o seu objetivo?

Inicialmente eu quero emagrecer mais seis quilos.

Você fez exercícios físicos?

Não. Eu queria, mas a rotina de show é muito difícil. Não quero usar de desculpas, mas sei lá... Eu não curto ambiente de academia. Porque parece que as pessoas que estão na academia não precisam estar na academia. Deixa pra gente que precisa. Eu tenho um joelho meio ruim então não gosto de correr também porque machuca.

Pra finalizar, seu sonho pessoal, casar, ter filhos?

Com certeza, ter filhos com 27 anos. Quando chegar nos 30 eu sonho dar uma parada. Eu quero um tempo pra mim, para usufruir um pouquinho do que eu venho conquistando. Viajar... Eu não sei se isso vai dar certo. É uma coisa que vem sendo conversada desde já.

Você já falou com seus empresários?

Eu vivo conversando com eles porque eu tenho como objetivo dar uma relaxada. Eu quero pelo menos 6 meses ou um ano. Pra que depois quando eu tenha uma certa idade, não me arrependa.

Então é só uma parada. Você vai voltar?

Espero que sim. Eu acredito que vai estar bem tranquilo. Acredito que na vida da gente o sucesso é um ciclo e você tem que aproveitar todo momento o sucesso que você tem. Quando chegarem pessoas novas, é importante que você deixe que pessoas novas aconteçam. Porque alguém deixou Marília Mendonça acontecer e acho isso honroso. Vai chegar muita gente nova. O Brasil é cheio de talentos. O sucesso é um ciclo e uma hora eu vou dar lugar a outra pessoa.

 

Comentários

Últimas de Leo Dias