Anitta: 'Desde 'Vai Malandra' eu não peço mais nada a Deus'

Em entrevista exclusiva, Anitta fala do ápice de sua carreira: sua primeira turnê internacional em palcos consagrados

Por

Anitta acaba de encerrar em Londres (Royal Albert Hall) sua primeira turnê pela Europa.
Anitta acaba de encerrar em Londres (Royal Albert Hall) sua primeira turnê pela Europa. -

A quinta-feira começou com Anitta brilhando por longos 10 minutos no 'Good Morning Britain', na iTV, uma das maiores audiências da Inglaterra. Por volta das 20h, ela recebia fãs antes de subir ao palco do lendário Royal Albert Hall de Londres. Deu entrevista à imprensa local em que falou abertamente de suas plásticas: "Eu mudei meu nariz mas continuo com minhas celulites porque é bem mais fácil operar do que fazer uma dieta", disse em inglês. Na hora da conversa com O DIA, Anitta sabia que estava em casa e que nós tínhamos a exata noção do quão difícil foi para ela chegar até ali. Direto de Londres, Anitta deu exclusiva para esta coluna.

A gente está aqui no Royal Albert Hall. Você tem noção de tudo?

Cara, eu prefiro não ficar pensando muito assim. Depois, quando passa, eu penso. Por exemplo, no 'Rock in Rio' eu já tinha tanta coisa para lidar, que quando eu estava lá cantando eu não prestava muito atenção no povo porque você se deixa levar muito pela emoção. E eu gosto de fazer tudo muito certinho! Eu não gosto de parar o show e ficar chorando. Acho que a galera esta ali pra ver o entretenimento. Eu gosto de fazer a galera curtir, e na hora do show eu não fico pensando. Depois quando o show acaba aí eu vou e procuro saber.

Mas no RIR, logo que você fechou você sabia da dimensão que é, e você já tinha preparado um novo show para aquilo ali. Dali começou uma nova turnê?

Sim! Eu estava trocando de turnê todo ano no planeta Atlântida, e aí eu aproveitei e fiz isso agora no RIR. Mas esse mesmo repertório, esse mesmo show a gente vai levar para o Brasil.

Eu imagino que uma turnê internacional já tenha tido oportunidade de acontecer antes... Ou estou errado?

Já, já!

E por que você tem postergado isso?

Porque eu acho que tem que acontecer na hora certa, sabe? Não acho que era o momento certo para eu fazer.

Por que não?

Porque eu estava no meu início.

Se você fizesse isso há 2 anos, 100% das bilheterias seriam brasileiros, e hoje a gente não vê aqui 100% dos brasileiros. Eu vi gente ali fora te esperando que não falava português e isso não aconteceria há 2 anos. Ou eu estou errado?

Não aconteceria, mas não é só por isso não. Eu não me sentia segura ainda para vir fora do Brasil fazer shows. Eu sou muito de ter certeza, sabe? E essa turnê mesmo foi a minha equipe que me empurrou para fazer, porque eu ainda esperaria mais um aninho.

Por que você acha que ainda não era o momento de se apresentar?

Não! Eles foram, acabou dando certo e eu confiei e tudo mais. Às vezes também eu não sou a dona da verdade.

Mas você sabe que suas apresentações foram em vários palcos célebres e não em qualquer palco?

Sim, claro! Por exemplo, aqui hoje, eu tive vários profissionais, tanto a Live Nation que é uma empresa internacional gigantesca, quanto da minha agência, que é a William Morris, que também entende muito disso. E a minha empresa falando pra mim "faz, faz, a gente tem certeza". Eu cuido dos meus negócios, mas às vezes eu também tenho que escutar os profissionais que trabalham comigo. Eu entendo das coisas, mas se eu tenho gente trabalhando comigo, eu tenho que deixar eles fazerem o papel deles também.

Eles disseram que esse era o momento?

Eles disseram que esse era o momento, aí eu fui e fiz. Até queria ter feito Itália e Angola, só que eu já tinha shows marcados no Brasil. Porque na verdade, a gente já tinha se planejado para fazer coisas assim ano que vem, só que a gente só pensou que ia vir o sucesso internacional no ano que vem. Veio muito mais rápido.

O mundo mudou também, não é, Anitta?

Sim! E a gente quis... Na verdade eles (risos) quiseram aproveitar esse 'up'. Ontem eu peguei um Uber e o cara conhecia 'It's that for me', por exemplo. Meu stylist foi fazer compra pra mim e os vendedores sabiam quem eu era mesmo sem serem brasileiros. Então é importante eu vir no lugar e aparecer. E nisso o Brasil me ajuda muito, porque aí eu consigo ter um show cheio, bonito e com meu público brasileiro que vai fazer um show lindo pra mim, e consigo cativar outras pessoas.

As suas redes são bons medidores de nível de fãs internacionais, como é que está?

Cada vez cresce mais!

E de onde estão vindo? Você sabe?

O segundo país é Portugal que é proporcionalmente o país que mais me abraça, só que o México é maior, então, acaba sendo o segundo maior.

Isso que eu queria falar e frisar. O México é a sua porta de entrada para os EUA? Lá é a porta de entrada de qualquer um. O seu próximo foco não é o México ?

Eu tenho trabalhos no México. Tem uma forma que a divulgação funciona com cada país, entende? O México é como se fosse São Paulo.

Então você está trabalhando muito no México? Quantas vezes você vai lá este ano?

Estou. Esse ano eu vou quatro vezes para o México. Já fui duas.

Dia 20 vai ter lançamento de música. É uma música em inglês? Você sozinha?

Não, não. Em espanhol. É sim, eu sozinha. E vou fazer muitas parcerias com artistas internacionais, mas músicas deles com participação minha. As minhas são minhas sozinhas.

Como você tem visto a recepção dos brasileiros com as suas músicas em espanhol?

Muito bem! Porque primeiro eu trabalhei o fato do Brasil se acostumar novamente...

Você acha que já estão acostumados ou é só porque é você, Anitta?

Não! Já toca todos os artistas. Na verdade eu aproveitei uma onda que já estava vendo que iria chegar e entrei nela, entendeu? Teve Shakira com Maluma, teve 'Despacito'... Foi uma onda que já estava acontecendo e eu fui aproveitando.

Essa onda ainda persiste?

Com certeza! O espanhol segue fortíssimo.

Não é você? Independentemente de você existir ou não?

Não, não sou eu. Segue fortíssimo com vários outros artistas. Independente de mim, o espanhol segue fortíssimo. Eu tinha estudado antes isso e eu vi que isso aconteceria, por isso eu investi no espanhol, entendeu? Eu já sabia que isso iria rolar, assim eu consigo fazer espanhol tranquilamente. E eu não parei de fazer português, a música número 1 hoje no Brasil é 'Ao Vivo e a Cores', com Matheus e Kauan. Então a minha estratégia está sendo fazer feat. Em português serão feats.

Que não serão menores por serem feats?!

Não, jamais! Sempre quando eu faço feats, as músicas são metade metade. Metade minha, metade sua. A do Safadão, a do Silva, Matheus e Kauan, todas você pode ver que é didividinha, direitinha.

Então português vai ser sempre feat?

No fim do ano tem uma minha em português sozinha.

Por que fim do ano sempre? Por causa do verão?

Não, porque casou! O formato de se lançar single é de três em três ou quatro em quatro meses, então acaba sendo quatro, três meses depois.

Mas o seu em português está calhando de sempre ser no verão. 'Vai Malandra' foi emblemático.

Mas essa música nem é de verão.

É funkão?

Não, estou trabalhando nela ainda.

Como serão os próximos seis meses no Brasil?

Vou fazendo show, campanha publicitária e quando dá eu vou encaixando alguns programas de TV quando alguns amigos me pedem, e de rádio também. Vou fazendo entrevistas, quando vai cabendo eu vou encaixando na agenda.

Você vai ter férias?

Vou ter férias só no ano que vem. Não vou ter férias esse ano.

Já aconteceu de você pedir socorro porque está exausta?

Ano passado e esse ano. Mas eu tirei férias. Ano passado eu tive várias semanas, esse ano também eu tive uma cinco semanas. Agora estou trabalhando aí talvez eu tenha uma semaninha em novembro.

Da última vez você deu entrevista aqui para o jornal, você era uma pessoa completamente diferente em relação a sua vida privada. Você percebe essa mudança?

Sim, eu fiquei mais 'relax', mais tranquila. É porque eu sempre falei que só assumiria uma pessoa quando fosse algo sério, quando eu soubesse que é uma coisa duradoura. Não tinha porque eu dar um beijo em alguém e falar: "oi gente dei um beijo em fulano". Mas quando eu vi que era sério, aí...

Mas você casou, e mesmo casada mantinha uma discrição. Houve alguma coisa ou algum fato que você falou que iria assumir ?

Houve sim. A gente não estava conseguindo ir para os lugares que todo mundo estava indo muito atrás. A gente estava jantando e sempre tinha alguém para fotografar. Se fossemos num evento, as pessoas iam atrás. Não conseguíamos ter um momento tranquilo. Hoje, como está todo mundo acostumado, não fica mais ninguém filmando ou tirando foto.

Você percebeu que quando expôs, o interesse diminuiu?

Sim, ficou mais tranquilo.

E isso é bom?

É, porque eu posso fazer as coisas tranquilamente. Se eu ficasse escondendo as pessoas iriam ficar sempre buscando.

Eu perguntei para o presidente da Warner como ele imagina a Anitta daqui a 5 anos. Ele me disse: "uma das três maiores cantoras da Warner mundial. Como você se imagina daqui a 5 anos?

(Risos) Cara eu não sei, porque eu sou muito realizada já, de verdade. Óbvio que estou trabalhando muito para continuar, dar continuidade ao meu trabalho, continuar crescendo. Eu já sou muito realizada, se eu te falar que durmo dizendo "Deus, eu quero não sei o que"... Não, nunca mais. Desde 'Vai Malandra' eu não peço mais nada a Deus.

Mas isso não pode ser um perigo?

Em relação a coisas de trabalho, não. Sou muito realizada. O que vier é lucro. Não ficarei frustrada se algo não crescer mais, entendeu? Porque eu já fiz algo muito surreal assim. Eu tenho 25 anos, então pra mim o que eu fiz até aqui já foi surreal demais pra eu ficar me frustrando por algo. Acho que o mal das pessoas é: ok quando você alcança um degrau, você almeja outro degrau. Mas se você já alcançou um degrau que é incrível não precisa se frustrar porque não conseguiu algo. Tá ok, seja feliz com o que você já tem. E eu sou muito feliz. Então eu almejo outra coisa, por exemplo, meu desenho, que é um projeto do meu coração. Eu fico emocionada quando eu vejo.

'Desenho Anitta' é aquele projeto infantil que você está pra lançar?

É isso! Toda vez que eu vejo eu tenho vontade de chorar de emoção, porque é uma coisa que me move. As coisas hoje eu tenho feito muito por prazer e amor porque eu gosto, mas não por pressão. Estou trabalhando pra caramba, mas eu tenho folga, eu fico em casa de bobeira. Eu só não aviso as pessoas e não mostro que eu estou na minha casa de bobeira, porque as pessoas sempre querem ajuda, sempre pedem algo. Eu tenho pedido do mundo inteiro. Eu também mereço ter um dia em casa de bobeira. Hoje eu trabalhei de manhã depois fui passear.

O que você fez aqui em Londres ontem?

Fiz a capa de uma revista inglesa. Mas em Paris fiz passeio, fui jantar, no primeiro dia fiquei tranquila.

Você já planejou a época que vai ter filho? Vai ser quando?

Eu ainda não sei, mas quero.

Teu corpo que vai dizer ou é a tua relação que vai dizer?

Acho que é a minha relação que vai dizer. A gente quer muito, mas não sei. Acho que a gente tem que amadurecer muito ainda.

Galeria de Fotos

Anitta acaba de encerrar em Londres (Royal Albert Hall) sua primeira turnê pela Europa. Marcelo Hallit/Divulgação
Anitta REPRODUÇÃO / INSTAGRAM

Comentários

Últimas de Leo Dias