Saiba o que Sérgio Cabral falará em seu próximo depoimento a Bretas

Ex-governador do Rio ficará novamente frente a frente com o juiz federal da Lava Jato

Por CÁSSIO BRUNO

Ex-governador Sérgio Cabral denunciará esquema com a Oriente
Ex-governador Sérgio Cabral denunciará esquema com a Oriente -
RIO - O ex-governador Sérgio Cabral (MDB) prestará novo depoimento ao juiz federal da Lava Jato Marcelo Bretas, na próxima terça-feira. Acusará o seu secretário de Obras, Hudson Braga, de direcionar licitações para obras de infraestrutura nos programas Bairro Novo e Somando Forças em municípios da Baixada Fluminense, além de Niterói, São Gonçalo e Maricá. Contará que a maior beneficiada no esquema de arrecadação de propina era, principalmente, a Oriente Construção Civil. Vai centrar fogo ainda em Alex Sardinha da Veiga, ex-coordenador de licitações da empreiteira, e Geraldo André de Miranda Santos, diretor da Oriente.

PARTILHA POR LOTES E PROPINA DE 1%

Além de admitir corrupção nesses contratos celebrados pelo governo, Cabral explicará a Bretas que as obras do Bairro Novo e do Somando Forças eram divididas por lotes. E, além da Oriente, pelo menos outras 15 empreiteiras participaram. Todas as licitações foram direcionadas, segundo o ex-governador, por Hudson Braga. No ano passado, o Ministério Publico Federal denunciou o caso. De acordo com os procuradores, entre 2010 e 2014, Cabral, por meio de Braga, solicitou e recebeu propina de Alex Sardinha e Geraldo André. Em geral, o valor cobrado era de 1%.

O ARRECADADOR DO EX-GOVERNADOR

Hudson Braga foi preso na Operação Calicute, braço da Lava Jato, em novembro de 2016. O exsecretário e arrecadador de propina de Cabral teve condenações por crimes como corrupção e lavagem de dinheiro. Por decisão do ministro do Supremo Tribunal Federal (STF) Gilmar Mendes, foi solto. Braga é apontado nas investigações ainda como controlador de planilhas de pagamento. Segundo o MPF, negociava valores pagos por empreiteiras nas duas gestões de Cabral, período de obras para a Copa e a Olimpíada.

JEROMINHO QUER SER PREFEITO DO RIO

Sim, o ex-vereador Jerônimo Guimarães Filho, o Jerominho, revelou à Coluna a intenção de disputar a sucessão de Marcelo Crivella (PRB). Será pelo PMB (Partido da Mulher Brasileira). Ele tem conversado com empresários e advogados para viabilizar uma possível candidatura. Ele ficou preso por 11 anos acusado de comandar a maior milícia da Zona Oeste. Juridicamente, não está com os direitos políticos suspensos. A filha, Carminha, será candidata a vereadora.

OS MOTIVOS DO DESEMBARQUE 1

A primeira justificativa para o senador Flavio Bolsonaro liberar a bancada do PSL para deixar a base de Witzel (PSC) é evidente: as duras críticas feitas pelo governador ao presidente Jair Bolsonaro à revista “Época”.

OS MOTIVOS DO DESEMBARQUE 2

A segunda: Witzel tenta atrair partidos do centrão para pavimentar o caminho à Presidência, em 2022. Mais: não declarou apoio à candidatura do deputado Rodrigo Amorim (PSL) a prefeito e se aliou a Crivella.

OS MOTIVOS DO DESEMBARQUE 3

A terceira: o secretário de Desenvolvimento Econômico, Lucas Tristão, atua para reduzir o espaço do PSL no governo. Ele age como um primeiro-ministro e... veta indicações do partido de Bolsonaro para cargos.

OS QUE MAIS TENTAM INDICAR

Além de Amorim, Alexandre Knoploch e Gustavo Schmidt são, na bancada do PSL, os que mais brigam por cargos. Schmidt quer vagas no Ipem de Niterói, Detran e Imprensa Oficial. Knoplock nomeou até o pai e a mãe.

TUDO PELA REELEIÇÃO

Crivella já tem no radar de campanha concorrer contra o ex-prefeito Eduardo Paes (DEM) e Mariana Ribas (PSDB), sua ex-secretária de Cultura, na mesma chapa.

PICADINHO

Hoje, acontece o ‘Forró da Vizinha’, a partir de 17h. Na Rua Henrique de Novaes, 123, Botafogo.

A exposição ‘Campo’ começa hoje, na Escola de Artes Visuais do Parque Lage. Gratuito.

Amanhã, o advogado Paulo Parente media painel no Congresso da ABPI, no Hotel Windsor Barra.

DESCE

SECRETÁRIO DA PM

Em mais uma ação da Polícia Militar, comandada por Rogério Figueredo, um inocente foi baleado sexta-feira, em Bangu.

DESCE

RICARDO SALLES

Ministro do Meio Ambiente contestou índices de desmatamento. Agora, quer ajuda de estados contra queimadas.

Comentários