Rezar pela casa comum

É tempo de se converter, de voltar às raízes, pois somos as criaturas prediletas de Deus, que, na sua bondade, nos chama a amar a vida e a vivê-la em comunhão, conectados com a criação

Por O Dia

Vivemos momentos complicados, em que o homem parece não estar em sintonia com a natureza. O Papa Francisco está atento e escreveu uma mensagem mostrando que Deus sempre teve um olhar cuidadoso sobre a criação. Desde a terra habitável até às águas que sustentam a vida, desde as árvores que dão fruto até aos animais que povoam a casa comum, tudo é benquisto aos olhos de Deus, que oferece a criação ao homem como dom precioso.
Infelizmente, a resposta humana ao dom recebido foi marcada pelo pecado, pela avidez de possuir e explorar. Egoísmos e interesses fizeram deste lugar de encontro e partilha, que é a criação, um palco de rivalidades e confrontos. Assim, se colocou em perigo o próprio ambiente.
O Papa Francisco alerta que está mais do que na hora de redescobrirmos a nossa vocação de filhos de Deus, guardiões da criação. É tempo de se converter, de voltar às raízes: somos as criaturas prediletas de Deus, que, na sua bondade, nos chama a amar a vida e a vivê-la em comunhão, conectados com a criação.
O Santo Padre nos faz um convite para o que chamou de “Tempo da Criação”: um período de oração mais intensa e de ação em benefício da casa comum, que teve início em 1 de setembro, Dia Mundial de Oração pelo Cuidado da Criação, e termina em 4 de outubro, memória de São Francisco de Assis.
Este é o tempo para nos habituarmos a rezar imersos na natureza, onde espontaneamente nasce a gratidão a Deus criador. É ainda o tempo para refletir sobre os nossos estilos de vida, verificando como muitas vezes são levianas e danosas as nossas decisões diárias em termos de consumo, deslocação, utilização da água, do alimento, da energia e dos bens materiais.
Vamos fazer a nossa parte! Vamos assumir o compromisso com o Papa Francisco e rezar pelo cuidado com a criação.




Comentários