Marinha destacou tropa para impedir avanço de mancha de óleo

Nos últimos três meses, foram mais de 3 mil militares de "56 Organizações Militares", distribuídos em 20 navios, dois helicópteros, dois grupamentos de fuzileiros e 28 equipes de inspeção naval

Por Leandro Mazzini

Pelo acordo, Marília (PT) não será mais candidata a governadora em PE
Pelo acordo, Marília (PT) não será mais candidata a governadora em PE -
Brasília - A Marinha destacou uma tropa para tentar, sem sucesso até agora, detectar e impedir o avanço das manchas de óleo no litoral brasileiro. Em documento (Ofício 34580) encaminhado à Câmara dos Deputados, ao qual a Coluna teve acesso, a informação é de que, nos últimos três meses, foram mais de 3 mil militares de "56 Organizações Militares", distribuídos em 20 navios, dois helicópteros, dois grupamentos de fuzileiros e 28 equipes de inspeção naval.
"Apesar de todos os esforços”, pontua o documento, "há grande dificuldade para impedir o avanço do óleo, uma vez que seu movimento é influenciado pelas correntes marítimas...o que dificulta sua prévia detecção".
Oficial
O documento garante que a Marinha atua no combate ao desastre desde o dia 2 de setembro, quando as primeiras manchas de óleo chegaram ao litoral nordestino.
Inferno no verão
A previsão é de que são 40 mil toneladas de óleo à deriva, desprendidos de bloco em alto mar, e que não vão parar de chegar nas mesmas praias nos próximos meses.
Frevo de 2020
Segue o frevo para a disputa da Prefeitura do Recife. Marília Arraes (PT), Túlio Gadelha (PDT) e um bolsonarista estão na fila. O PSB quer João Campos, filho do saudoso Eduardo, mas ele não confirma.
Muita calma...
O delegado da Polícia Federal Gastão Shefer Neto ficou famoso quando se envolveu em uma confusão no acampamento pró-Lula da Silva em Curitiba. Vizinho da Superintendência da Polícia Federal, Shefer quebrou o aparelho de som e comprou briga com a militância.
...nessa hora
Ele é conhecido por ter temperamento difícil entre colegas. Hoje, ocupa a chefia de gabinete da Secretaria Nacional de Políticas de Promoção da Igualdade Racial no Ministério dos Direitos Humanos. O cargo tem exigido paciência.
Verde & Amarelo
A Medida Provisória 905/19, assinada pelo presidente Jair Bolsonaro em novembro para criar o contrato Verde Amarelo e alterar a legislação trabalhista, não tem estimativas de impactos fiscais ou de medidas compensatórias suficientes para assegurar sua "plena neutralidade fiscal".
Saldo no vermelho
A conclusão está em nota técnica da Consultoria de Orçamento da Câmara. No documento, o consultor Mauro da Costa e Silva aponta que "não foram plenamente observadas na edição da MP as normas orçamentárias e financeiras aplicáveis a esfera federal, em especial da Lei de Responsabilidade fiscal".
Memória
A MP visa impulsionar contratação de jovens de 18 a 29 anos no mercado de trabalho e está parada à espera da instalação da comissão, para discussão e votação.
Cegueira & Repúdio
Deputados da Comissão de Cultura da Câmara, comandada pelo PT e PSOL, articulam moção de repúdio à nomeação de Sérgio Nascimento para a presidência da Fundação Palmares. No requerimento, os partidos informam que "Camargo defende a escravidão como algo que foi benéfico para o País, nega a existência do racismo e da importância estrutural do Movimento Negro, além de atacar símbolos da História afro-brasileira".
PEC da corrupção
Procuradores apontam que a PEC 48/2019, que prevê transferência direta de recursos de emendas parlamentares para Estados, DF e municípios, fragiliza o combate à corrupção. De autoria da presidente do PT, deputada Gleisi Hoffmann (PT-PR), e relatada em comissão especial pelo deputado Aécio Neves (PSDB-MG), a proposta passou com folga pela Câmara e pode ser aprovada pelo Senado antes do recesso.
Sinal amarelo
Para os procuradores da Câmara de Combate à Corrupção do MP, a PEC "abranda o controle e a vigilância sobre a execução dos valores, que não mais estariam sujeitos à apreciação de órgãos federais atuantes no combate contra a malversação e desvio de verbas públicas". Se aprovada pelo Senado e promulgada ainda em 2019, a nova regra entra em vigor já em 2020, ano de eleições municipais. 
Uma assinatura que vale muito

Contribua para mantermos um jornalismo profissional, combatendo às fake news e trazendo informações importantes para você formar a sua opinião. Somente com a sua ajuda poderemos continuar produzindo a maior e melhor cobertura sobre tudo o que acontece no nosso Rio de Janeiro.

Assine O Dia

Comentários