Faroeste Amazônico

Há informes de militares de que as duas maiores facções criminosas do Brasil entraram em guerra pelas rotas de transporte de drogas nos rios na região

Por O Dia

Fernando Haddad mirou o presidente Jair Bolsonaro. Disse a aliados que ele só respeita as milícias, e que dia sim, outro também, fala besteiras
Fernando Haddad mirou o presidente Jair Bolsonaro. Disse a aliados que ele só respeita as milícias, e que dia sim, outro também, fala besteiras -
Brasília - Não são apenas as queimadas na floresta que preocupam as autoridades do governo. Há informes de militares da região de que as duas maiores facções criminosas do Brasil entraram em guerra pelas rotas de transporte de drogas nos rios até a foz no mar Atlântico. Dois minisubmarinos que transportariam entorpecentes já foram apreendidos no Rio Solimões apenas este ano. Os informes apontam que uma das facções se aliou às Farc, da Colômbia, para controle das rotas, cujo destino são México e Estados Unidos, a partir da foz do rio Amazonas. Isso irritou a facção rival brasileira e explica a guerra sangrenta dentro dos presídios de Manaus, Belém e Natal nos últimos meses, onde estão detidos os chefes do esquema.

Na UTI
A Lava Jato, como a Satiagraha e a Castelo de Areia, que foram enterradas, assiste ao risco de seu velório com a primeira pá dos coveiros de toga. Mas há médicos de plantão.

Bloqueio imediato
Delegados da Polícia Federal lamentam a paralisação (não cancelamento) de algumas operações. O Coaf já cessou o envio dos relatórios de informes para a corporação.

Cadê o nosso?
A Petrobras acendeu a faísca no barril de óleo ao confirmar à Coluna que pagou R$ 1 bilhão de prêmios aos servidores por bom desempenho. O andar de baixo não recebeu...

O novo velho
A agenda do presidenciável Fernando Haddad (foto) no fim de semana ratifica críticas até das hostes de o PT personificar o seu futuro no ex-presidente Lula da Silva, condenado e preso por corrupção. Ao insistir em voltar ao jogo político, barrado pela Ficha Limpa, Lula mantém Haddad como ‘poste’. O excandidato de 2018 passou por Fortaleza, Recife e Monteiro (PB) com o único discurso de ‘Lula Livre’.

Besteirol geral
Quando não falou de Lula, Haddad mirou o presidente Jair Bolsonaro. Disse a aliados que ele só respeita as milícias, e que dia sim, outro também, fala besteiras. Na mesma linha, o senador Humberto Costa (PT) deu uma exagerada. Citou que o projeto bolsonarista é antipovo e disse temer que o Brasil vire uma Argentina, dando calote no mundo.

Esperança petista
Paulo Teixeira (PT-SP) diz ter esperança de que Lula da Silva deixe a cela da PF em Curitiba neste mês ou no mais tardar em outubro. Teixeira visitou Lula e adianta que, apesar das preocupações, ele cuida da saúde física e emocional.

Militares...
Pressionados por policiais e bombeiros, 45 deputados assinam emenda ao PL 1.645/19 do sistema previdenciário das Forças Armadas para garantir aos agentes estaduais as mesmas proteções sociais dos militares federais. O texto já recebeu outras 47 emendas e tramita em comissão especial da Câmara.

...na Reforma
O presidente da Frente Parlamentar da Segurança Pública, deputado Capitão Augusto (PL-SP), diz que os PMs têm todas as limitações das Forças Armadas, “como falta de adicionais
noturno e de insalubridade, e nem todos os benefícios, como a falta de vilas militares ou alimentação gratuita em quartéis”.

Mercado espera
A aprovação da Reforma da Previdência será um recado aos investidores estrangeiros de que o Brasil está compromissado com o controle das despesas. A afirmação é do chefe da Assessoria de Cadastros Previdenciários do Ministério da Economia, Alessandro Roosevelt. Ele afirma a necessidade de votação urgente no Senado.

Segue no vermelho
Além do menor nível de investimentos em uma década, com R$ 19 bilhões, a proposta de Lei Orçamentária Anual de 2020 prevê R$ 124,1 bilhões como meta fiscal para o déficit primário do Governo (Tesouro Nacional, Previdência e Banco Central). Neste ano, o déficit previsto é de R$ 139 bilhões. Desde 2014 as contas estão no vermelho.

Comida na mão
O iFood comemora crescimento. Atingiu a marca de 72 mil entregadores cadastrados na plataforma. A estimativa é de que mais de 200 mil atuem diretamente nos restaurantes.

Comentários