Freixo comenta a polêmica sobre o bate-papo com Janaína Paschoal

Em depoimento à coluna, ele diz que o diálogo é um instrumento decisivo da democracia brasileira e deve ser preservado

Por Chico Alves

Deputado Marcelo Freixo
Deputado Marcelo Freixo -
Políticos, ativistas e simpatizantes da esquerda esqueceram por algum tempo os atos e declarações do presidente Jair Bolsonaro e voltaram as baterias nos últimos dias para um dos próprios aliados: o deputado Marcelo Freixo (PSOL-RJ). Tudo por causa de um bate-papo de cerca de 40 minutos que ele manteve com a deputada estadual de São Paulo Janaína Paschoal (PSL), a convite de um canal do YouTube. A proposta era demonstrar que dois políticos de campos opostos podem debater ideias civilizadamente. Nas redes sociais, porém, choveram críticas à atitude de Freixo. Principalmente depois que Janaína Paschoal postou no Twitter, no dia seguinte à conversa, a seguinte frase: "Com todas as divergências que tenho com Bolsonaro, dou graças a Deus por não termos a esquerda no poder. Esquerda é sinônimo de maldade e de ditadura".

Em depoimento à coluna, Freixo disse que não se arrepende de ter aceitado o convite. "A proposta era: 'você é capaz de fazer um debate com uma pessoa que pensa completamente diferente de você, sem agressão e sem violência?' O que acha que eu deveria responder? Claro que sou capaz de dialogar sem violência", diz o deputado. "Fui criado no método Paulo Freire. Eduquei adultos dentro do sistema penitenciário e nas favelas do Rio de Janeiro. Aprendi desde muito cedo na minha profissão (Freixo é professor de História) e na minha militância a importância do diálogo e da luta pedagógica".

O deputado do PSOL explica que o objetivo não era que um convencesse o outro de suas convicções ideológicas: "O diálogo é importante em si. É um instrumento importante e decisivo da democracia brasileira". Ele diz que ouve e valoriza as críticas, mas lembra que o número de elogios pela disposição para o diálogo foi muito maior. "Eu sei o que Janaína representou no impeachment e no pensamento político brasileiro. Justamente por isso é importante fazer o debate". Freixo diz que há 30% de brasileiros que concordam com Bolsonaro e outros 30%% que odeiam o presidente. "No meio disso tudo, você tem 40% que, se nos comportarmos igual ao bolsonarismo, sem capacidade de diálogo e com ódio, não vamos conquistar".


Freixo diz que Janaína Paschoal fez a postagem agressiva contra a esquerda em resposta aos simpatizantes da direita que a criticaram pelo bate-papo tanto quanto ele foi criticado. "Está vendo? Talvez a gente não tenha que pensar igual a esses setores conservadores", destaca. Veja o vídeo em que o deputado Marcelo Freixo responde às perguntas de BASE.

 

Comentários