Alegria no Ar
Coluna
Alegria no Ar
Com Fernando Mansur

Calma, mundo!

Às vezes o ser humano é tão frágil que apela para a violência

Por O Dia

Às vezes, o ser humano é tão frágil que apela para a violência. Às vezes ele não suporta a honestidade, por isso corrompe, até mata. 

Matamos florestas, animais e pessoas, destruímos habitats naturais, reservas florestais, ambientes sagrados.

Por não acreditarmos totalmente em nossa fé, tentamos destruir a crença dos outros. Toda essa força violenta aparente é apenas manifestação de fraqueza e ignorância. 

Não podemos esperar um efeito saudável de uma causa contaminada. Olhe em volta: tudo é só a soma do que cada um pensa e sente.

Como a humanidade é pobre quando entregue a si mesma! Segue refém do próprio egoísmo, esteja ele paramentado ou não. Os que pretendem salvar costumam ser algozes disfarçados de libertadores.

Um dia a máscara cai, pois o cerne da vida é a verdade e ela há de prevalecer. Quem viver, verá, nesta ou numa próxima encarnação.

De fato, somos os mesmos de mil anos atrás, indo e vindo, colhendo o que plantamos. 

Tem dúvidas?... Como saber?...

"As coisas estão no mundo, só que eu preciso aprender."

Podemos. Vamos!

Comentários

Calma, mundo! O Dia - Alegria no Ar

Alegria no Ar
Coluna
Alegria no Ar
Com Fernando Mansur

Calma, mundo!

Às vezes o ser humano é tão frágil que apela para a violência

Por O Dia

Às vezes, o ser humano é tão frágil que apela para a violência. Às vezes ele não suporta a honestidade, por isso corrompe, até mata. 

Matamos florestas, animais e pessoas, destruímos habitats naturais, reservas florestais, ambientes sagrados.

Por não acreditarmos totalmente em nossa fé, tentamos destruir a crença dos outros. Toda essa força violenta aparente é apenas manifestação de fraqueza e ignorância. 

Não podemos esperar um efeito saudável de uma causa contaminada. Olhe em volta: tudo é só a soma do que cada um pensa e sente.

Como a humanidade é pobre quando entregue a si mesma! Segue refém do próprio egoísmo, esteja ele paramentado ou não. Os que pretendem salvar costumam ser algozes disfarçados de libertadores.

Um dia a máscara cai, pois o cerne da vida é a verdade e ela há de prevalecer. Quem viver, verá, nesta ou numa próxima encarnação.

De fato, somos os mesmos de mil anos atrás, indo e vindo, colhendo o que plantamos. 

Tem dúvidas?... Como saber?...

"As coisas estão no mundo, só que eu preciso aprender."

Podemos. Vamos!

Comentários