Coronavírus: Em reunião, governadores reivindicam renda mínima

A lei, sancionada em 2005 pelo então presidente Luiz Inácio Lula da Silva, prevê o "direito de todos os brasileiros residentes no País e estrangeiros residentes há pelo menos 5 (cinco) anos no Brasil, não importando sua condição socioeconômica, receberem, anualmente, um benefício monetário"

Por O Dia

Witzel conversou com governadores e presidente da Câmara
Witzel conversou com governadores e presidente da Câmara -

Brasília - Os 26 governadores reunidos nesta quinta-feira em novo encontro virtual, desta vez sem a participação do presidente Bolsonaro, aprovaram uma carta com uma série de reivindicações ao governo federal para fazer frente à crise do coronavírus. Entre elas a aplicação da lei que institui uma renda básica de cidadania para todos os brasileiros.

A lei, sancionada em 2005 pelo então presidente Luiz Inácio Lula da Silva, prevê o "direito de todos os brasileiros residentes no País e estrangeiros residentes há pelo menos 5 (cinco) anos no Brasil, não importando sua condição socioeconômica, receberem, anualmente, um benefício monetário".

A lei diz que caberá ao Poder Executivo estipular o valor do benefício e prevê o pagamento de parcelas mensais, de mesmo valor, para todos os cidadãos, a fim de atender "às despesas mínimas de cada pessoa com alimentação, educação e saúde, considerando para isso o grau de desenvolvimento do País e as possibilidades orçamentárias".

Prefeitos

Além das críticas de governadores ao discurso em que o presidente Jair Bolsonaro defendeu o fim do isolamento social como estratégia de contenção do novo coronavírus, prefeitos também se manifestaram de forma contrária à postura do chefe do Executivo.

- Pronunciamento do Presidente Jair Bolsonaro, em cadeia nacional de rádio e televisão, sobre o enfrentamento à Covid19. . Link no youtube: https://youtu.be/Tb22dopGGzI

Publicado por Jair Messias Bolsonaro em Terça-feira, 24 de março de 2020

A Confederação Nacional dos Municípios (CNM), que representa os prefeitos e os municípios brasileiros, considerou que Bolsonaro agiu de forma inconsequente, mesmo estando preocupado com o futuro da economia. Para a entidade, o presidente trouxe "insegurança e intranquilidade" à população.

 

Uma assinatura que vale muito

Contribua para mantermos um jornalismo profissional, combatendo às fake news e trazendo informações importantes para você formar a sua opinião. Somente com a sua ajuda poderemos continuar produzindo a maior e melhor cobertura sobre tudo o que acontece no nosso Rio de Janeiro.

Assine O Dia

Galeria de Fotos

Witzel conversou com governadores e presidente da Câmara Eliane Carvalho
Governador do Estado de São Paulo, João Doria, durante Coletiva de imprensa sobre coronavírus Local: São PauloSP. Data: 2332020 Foto: Governo do Estado de São Paulo Governo do Estado de São Paulo/divulgação

Comentários