'Safadinha, cadê as fotos?': Professor é suspeito de pedir nudes de aluna de 12 anos

A mãe da garota registrou boletim de ocorrência

Por iG

'Mas a gente tem que disfarçar um pouquinho, se não vai dar muita bandeira. Você quer ver eu preso?' diz o professor em um dos áudios
'Mas a gente tem que disfarçar um pouquinho, se não vai dar muita bandeira. Você quer ver eu preso?' diz o professor em um dos áudios -
Um professor de 52 anos de uma escola estadual do interior de São Paulo está sendo investigado por trocar mensagens de cunho sexual com uma de suas alunas, que tinha apenas 12 anos.  

A mãe da garota registrou boletim de ocorrência, no último domingo (6), para denunciar o assédio, após encontrar mensagens e áudios em que ele pedia fotos da jovem nua.

O caso ocorreu em Ariranha, a quase 400 km da capital paulista. A polícia civil está investigando o caso e se houve outras vítimas. O celular da menina foi apreendido e está aguardando autorização judicial para que seja analisado.

A mãe da vítima afirma que encaminhou à polícia mais de dez áudios, além de diversas conversas que ocorreram entre o professor e a aluna. Em um dos áudios, o docente chamou a garota de amorzinho e pediu que lhe enviasse fotos.

"Eu sei meu amorzinho. Mas a gente tem que disfarçar um pouquinho, se não vai dar muita bandeira. Você quer ver eu preso? Eu não posso. Não posso, assim. Eu tenho maior vontade, a gente precisa ter cuidado. Safadinha, cadê minhas fotos? Não pode vazar essas informações de jeito nenhum. Mas me manda foto, por favor, e eu quero ver pessoalmente, sim, estou louquinho. Beijos", diz o professor no áudio.

Segundo o delegado responsável pelo caso, Gilberto César Costa, a polícia averigua quando o assédio teria iniciado. Moradores da região comentaram em rede social que comportamentos similares já haviam sido praticados pelo professor.

Em um post na internet, a mãe da vitima se referiu ao docente como “professor pedófilo” e afirmou que “ninguém nunca teve coragem de acabar com a sua palhaçada”, mas que agora ele mexeu com a pessoa errada.

A Secretaria Estadual de Educação de São Paulo, responsável pela Escola Estadual Gabriel Hernandes onde o professor dava aula, afirma em nota que o professor foi afastado e que uma apuração preliminar foi aberta.

Comentários