Após pressão, Bolsonaro reforça combate a crimes ambientais e pondera: 'Incêndios florestais existem no mundo todo'

Em pronunciamento, presidente defendeu combate ao 'desmatamento ilegal' na Amazônia e afirmou que Brasil 'é exemplo de sustentabilidade' e tem 'lei ambiental moderna' e 'matriz energética limpa'

Por O Dia

Jair Bolsonaro
Jair Bolsonaro -
Rio - Sob panelaços em várias regiões do país, o presidente da República, Jair Bolsonaro, fez um pronunciamento oficial sobre as queimadas na Amazônia. Ele reforçou o endurecimento de medidas contra crimes ambientais, mas ponderou que o desmatamento na região está "dentro da média dos últimos 15 anos" e que "incêndios florestais existem no mundo todo".
Bolsonaro também sugeriu que a questão da Amazônia não esteja sendo tratada com "serenidade": "Espalhar dados e mensagens infundadas, dentro ou fora do Brasil, não contribui para resolver o problema, e se prestam apenas ao uso político e à desinformação".
O pronunciamento veio após grande repercussão internacional, algumas ameaças de sanções e fortes críticas de líderes de outros países, como a França, a Alemanha, o Canadá, a Noruega, a Finlândia e o Reino Unido. 
"A proteção da floresta é nosso dever. Estamos cientes disso e atuando para combater o desmatamento ilegal e quaisquer outras atividades criminosas que coloquem a nossa Amazônia em risco", afirmou o presidente. Ele informou ainda a autorização do emprego das Forças Armadas para a Garantia da Lei e da Ordem (GLO) na Amazônia, conforme decreto publicado no Diário Oficial da União desta sexta-feira. "Uma verdadeira GLO ambiental", afirmou.
Bolsonaro afirmou ainda que "o Brasil é exemplo de sustentabilidade, possui uma lei ambiental moderna e um código florestal que deveria servir de exemplo para o mundo. Temos uma matriz energética limpa, renovável, e com ela estamos dando importante contribuição ao planeta".

Comentários