Economia justifica investimento

Por

Andando assim, conseguimos em várias ocasiões rodar até os 70 km/h, usando apenas os motores elétricos, que só sabemos estarem ligados por conta do aviso no painel de instrumentos digital em TFT. Acima dessa velocidade, ou quando o acelerador foi mais exigido, o motor 1.8 entrou em cena e o ruído vem mais forte. Mas o propulsor a combustão não trabalha sozinho. A dupla elétrica está sempre junto, convertendo a energia e mandando de volta para a bateria.

O trio só sai de cena quando nenhuma força é usada para movimentar o veículo. Nessas circunstâncias, só a bateria é recarregada. Com essas variações de uso, conseguimos uma média de consumo de 14,8 km/l (abastecido com etanol). Uma média ótima para o sedã médio desse porte.

O comportamento dinâmico do sedã médio é ainda melhor na linha 2020 graças a mudança de plataforma, que permitiu troca de medidas. Dentre elas a altura, que caiu em 2 cm e resultou num menor centro de gravidade. O que privilegia a condução e reduz a rolagem da carroceria em curvas. 

Uma assinatura que vale muito

Contribua para mantermos um jornalismo profissional, combatendo às fake news e trazendo informações importantes para você formar a sua opinião. Somente com a sua ajuda poderemos continuar produzindo a maior e melhor cobertura sobre tudo o que acontece no nosso Rio de Janeiro.

Assine O Dia

Comentários