Duster europeu troca motor aspirado por 1.0 turbo

Versão europeia do SUV assinado pela Dacia deixa de usar o conhecido 1.6 SCe

Por O Dia

Renault Duster europeu troca motor aspirado por opção turbo de três cilindros
Renault Duster europeu troca motor aspirado por opção turbo de três cilindros -

Rio - Perto de ganhar uma nova geração no Brasil, o Renault Duster acaba de mudar de motor na Europa. Vendido por lá pela romena Dacia, o modelo trocará o nosso conhecido 1.6 SCe por um motor 1.0 turbo de até 100 cv da família TCe.  

De acordo com anúncio feito pela marca, a troca do motor aspirado pelo turbo foi necessária para que o modelo pudesse atender às regras anti-poluição da Europa. Apesar de ser novo na linha Duster, o propulsor não é novidade nos carros da Renault por lá. Renault Clio e Nissan March, por exemplo, já usam o motor turbo.

A redução na potência de 115 cv, da versão 1.6, para 100 cv, no caso da versão turbo, implica também na pior agilidade no 0 a 100 km/h. Segundo a Dacia, o modelo será capaz de alcançar a velocidade após 12,5 segundos (antes era 11,9 s). A conta melhora quando o assunto é consumo de combustível até 18% menor.

A expectativa é que o três cilindros entregue os 100 cv e 16,3 kgfm de torque. A potência deve ser distribuída para as rodas dianteiras pelo câmbio manual de 5 marchas ou do tipo CVT. Outro item esperado é o sistema start/stop.

Aqui no Brasil

Por aqui, o Duster da Renault está quase mudando de geração. O lançamento está previsto para o início de 2020, mas diferente do europeu o SUV nacional terá apenas o atual motor 1.6 SCe. A expectativa para a chegada da linha de motores turbo da Renault é só para 2021, quando as versões mais caras do Duster deverão oferecer o novo 1.3 TCe de 170 cavalos.

 

Galeria de Fotos

Renault Duster europeu troca motor aspirado por opção turbo de três cilindros Divulgação
Renault Duster europeu troca motor aspirado por opção turbo de três cilindros Divulgação

Comentários