‘Eu não vou voltar para a TV aberta para fazer qualquer coisa’, afirma Galisteu

Apresentadora está na nova programação da Rádio Globo com o programa 'Papo de Almoço'.

mais lidas

Adriane Galisteu vai estar na nova programação da Rádio Globo. Ela vai apresentar o ‘Papo de Almoço’, um programa que vai ao ar de segunda a sexta. Galisteu vai apresentar o de quarta-feira. Ela ainda está em cartaz em São Paulo, com a peça ‘A Bela Adormecida’, e na BandNews. Quando o assunto é TV aberta, ela é taxativa: “Eu não vou voltar para a TV aberta para fazer qualquer coisa”. Tá certa!

Como é que surgiu a rádio na sua vida?

Eu fiz rádio há muitos anos na Jovem Pam. Eu apresentava um programa todos os domingos das 19 às 22h. O programa durou uns trës anos. Eu segui minha vida sempre pensando na rádio, mas a vida foi me levando para outros caminhos. Algumas vezes eu bati na trave com programas de rádio que eu queria voltar, mas aí eu não tinha agenda para voltar então era difícil porque os programas eram normalmente nos finais de semana e ficou difícil depois do nascimento do Vitório. Mas agora surgiu o convite e eu fiquei muito feliz com essa oportunidade de voltar para a rádio em um dia que eu posso que, é na quarta- feira. O programa se chama ‘Papo de Almoço’ e vai ao ar de segunda a sexta, só que com um apresentador diferente a cada dia. Meus colegas de trabalho são o Thiago Abravanel, a Monica Marteli, o Claudio Manoel e o Léo Jaime. Cada apresentador faz um dia. 

Como é que é?
Tem um pouco de tudo porque é ao vivo.

É muito papo e pouca música?
É muito mais papo do que música. Só que são assuntos ligados à minha vida de alguma forma. Os temas são beleza, relacionamento,estilo de vida... Vamos ter uma interação total com o público através de Whatsapp, Twitter e Facebook. O ouvinte pode entrar ao vivo, mandar recado, informação... Ele é super bem vindo o tempo inteiro.

E vai poder abordar o assunto do momento, não é? A pauta pode mudar a qualquer momento?
Rádio tem essa flexibilidade. Eu posso conduzir o programa com o celular na mão acompanhando as informações, en</MC>tão qualquer coisa importante, a gente para o que está fazendo para falar da notícia.

O programa vai ser feito de São Paulo?
Vai ser feito de São Paulo, do Rio... De onde eu estiver! A gente vai falar do Brasil inteiro</MC> para o mundo. Num primeiro momento, faço aqui de São Paulo, mas eu posso fazer do Rio.

É muito bom falar com o Brasil inteiro, não é?
É uma delícia trazer a pessoa lá do Acre, de Manaus, para perto da gente.

Quem você acha que vai te ouvir?
Eu não vivo sem rádio. Não tem a menor chance de eu estar no carro com o rádio desligado. Quando você liga o rádio, já sabe o que está acontecendo no dia. Para mim, o rádio é um companhia no carro.

Você toparia fazer um programa diário?
Tudo depende dos horários, depende da disponibilidade que eu teria de fazer alguns programas gravados se eu precisasse. O caminho é esse: fazer rádio cada vez mais. É que nem o teatro, sabe? Eu normalmente faço uma peça de teatro a cada dois anos. Aí no final das contas eu acabei uma peça no dia 26 de janeiro e já estou em cartaz de novo porque uma coisa vai puxando a outra. Vou passar os sábados e domingos em cartaz em São Paulo até o último domingo de junho com ‘ A Bela Adormecida’. Eu faço a Malévola.

E televisão?
Eu estou na Bandnews.

Mas o você é a cara da TV aberta!
Mas ainda não pintou. Quando pintar, eu vou estudar. Eu não vou voltar para a TV aberta para fazer qualquer coisa. Vou voltar para a TV aberta com um projeto que valha a pena.

Adriane Galisteu Divulgação


Relacionadas

    últimas notícias

    comentários

    Newsletter

    Receba gratuitamente o melhor conteúdo de O DIA no seu e-mail e mantenha-se muito bem informado